Discos e Partições – Linux

Publicado: 6 de fevereiro de 2014 em Linux

Vamos aprender como manipular discos rígidos e partições no sistema GNU/Linux e como acessar seus discos de DVD-ROM e partições DOS, Windows no GNU/Linux.

Partições

São divisões existentes no disco rígido que marcam onde começa onde termina um sistema de arquivos. Por causa destas divisões, nós podemos usar mais de um sistema operacional no mesmo computador (como o GNU/Linux e o Windows), ou dividir o disco rígido em uma ou mais partes para ser usado por um único sistema operacional.

Pontos de Montagem

O GNU/Linux acessa as partições existente em seus discos rígidos e dvds através de diretórios. Os diretórios que são usados para acessar (montar) partições são chamados de Pontos de Montagem. No DOS cada letra de unidade (C:, D:, E:) identifica uma partição de disco, no GNU/Linux os pontos de montagem fazem parte da estrutura do sistema de arquivos raiz.

No GNU/Linux, os dispositivos existentes em seu computador (como discos rígidos, tela, portas de impressora, modem, etc) são identificados por um arquivo referente a este dispositivo no diretório /dev.

A identificação de discos rígidos no GNU/Linux é feita da seguinte forma:

/dev/hda1/

dev = Diretório onde são armazenados os dispositivos existentes no sistema.
hd = Sigla que identifica o tipo do disco rígido (hd=ide, sd=SCSI, xt=XT).
a = Letra que identifica o disco rígido (a=primeiro, b=segundo, etc…).
1 = Número que identifica o número da partição no disco rígido.

Exemplos de algumas identificações de discos e partições em sistemas Linux:

  • /dev/hda – Primeiro disco rígido na primeira controladora IDE do micro (primary master).
  • /dev/hda1 – Primeira partição do primeiro disco rígido IDE.
  • /dev/hdb – Segundo disco rígido na primeira controladora IDE do micro (primary slave).
  • /dev/hdb1 – Primeira partição do segundo disco rígido IDE.
  • /dev/sda  -Primeira controlador de porta USB do sistema.
  • /dev/sda1 – Primeiro dispositivo USB conectado a porta USB.
  • /dev/sdb -O Segundo SCSI, SATA ou USB.
  • /dev/sr0 – Primeiro DVD-ROM SCSI.
  • /dev/sr1 – Segundo DVD-ROM SCSI.

Montando e acessando uma partição de disco

Você pode acessar uma partição de disco usando o comando mount:

mount [dispositivo] [ponto de montagem] [opções]

dispositivo:

Identificação da unidade de disco/partição que deseja acessar como /dev/hda1(disco rígido).

Ponto de montagem:

Diretório de onde a unidade de disco/partição será acessado. O diretório deve estar vazio para montagem de um sistema de arquivo. Normalmente é usado o diretório /mnt para armazenamento de pontos de montagem temporários.

Opções:

-t [tipo]

Tipo do sistema de arquivos usado pelo dispositivo. São aceitos os sistemas de arquivos:

ext2 – Para partições GNU/Linux usando o Extended File System versão 2 (a mais comum).

ext3 – Para partições GNU/Linux usando o Extended File System versão 3, com suporte a journaling.

reiserfs – Para partições reiserfs, com suporte a journaling.

vfat – Para partições Windows 95 que utilizam nomes extensos de arquivos e diretórios.

msdos – Para partições DOS normais.

iso9660 – Para montar unidades de CD-ROM. É o padrão.

umsdos – Para montar uma partição DOS com recursos de partições EXT2, como permissões de acesso, links, etc.

ntfs – Para partições NT File System.

Para mais detalhes sobre opções usadas com cada sistema de arquivos, veja a página de manual mount.

-r [tipo]

Caso for especificada, monta a partição somente para leitura.

-w [tipo]

Caso for especificada, monta a partição como leitura/gravação. É o padrão.

Caso você digitar mount sem parâmetros, serão mostrados os sistemas de arquivos atualmente montados no sistema.

Exemplo de Montagem:

Montar uma partição Windows (vfat) de /dev/hda1 em /mnt somente para leitura:

mount /dev/hda1 /mnt -r -t vfat

Montar uma partição DOS localizada em um segundo disco rígido /dev/hdb1 em /mnt:

mount /dev/hdb1 /mnt -t msdos

Montar um pen drive:


mkdir /mnt/pen
mount /dev/sdb /mnt/pen

fstab

O arquivo /etc/fstab permite que as partições do sistema sejam montadas facilmente especificando somente o dispositivo ou o ponto de montagem. Este arquivo contém parâmetros sobre as partições que são lidos pelo comando mount. Cada linha deste arquivo contém a partição que desejamos montar, o ponto de montagem, o sistema de arquivos usado pela partição e outras opções.

[Sistema de arquivos] [Ponto de Montagem] [Tipo] [Opções] [Dump] [Ordem]

Sistema de Arquivos: Partição que deseja montar.

Ponto de montagem: Diretório do GNU/Linux onde a partição montada será acessada.

Tipo: Tipo de sistema de arquivos usado na partição que será montada. Para partições GNU/Linux use ext2, para partições DOS (sem nomes extensos de arquivos) use msdos, para partições Win 95 (com suporte a nomes extensos de arquivos) use vfat,para unidades de CD-ROM use iso9660.

Especifica as opções usadas com o sistema de arquivos. Abaixo, algumas opções de montagem para ext2/3 (a lista completa pode ser encontrada na página de manual do mount):

  • defaults – Utiliza valores padrões de montagem.
  • noauto – Não monta os sistemas de arquivos durante a inicialização (útil para DVD-ROMS).
  • ro – Monta como somente leitura.
  • user – Permite que usuários montem o sistema de arquivos (não recomendado por motivos de segurança).
  • sync é recomendado para uso com discos removíveis para que os dados sejam gravados imediatamente na unidade caso não seja usada, você deve usar o comando sync antes de retirar o disco da unidade.

Dump: Especifica a freqüência de backup feita com o programa dump no sistema de arquivos. 0 desativa o backup.

Ordem: Define a ordem que os sistemas de arquivos serão verificados na inicialização do sistema. Se usar 0, o sistema de arquivos não é verificado. O sistema de arquivos raíz que deverá ser verificado primeiro é o raíz “/” .

Após configurar o /etc/fstab, basta digitar o comando mount /dev/hdg ou mount /cdrom para que a unidade de CD-ROM seja montada. Você deve ter notado que não é necessário especificar o sistema de arquivos da partição pois o mount verificará se ele já existe no /etc/fstab e caso existir, usará as opções especificadas neste arquivo. Para maiores detalhes veja as páginas de manual fstab e mount.

Desmontando uma partição de disco

Para desmontar um sistema de arquivos montado com o comando mount, use o comando umount. Você deve ter permissões de root para desmontar uma partição.

umount [dispositivo/ponto de montagem]

Você pode tanto usar umount /dev/hda1 como umount /mnt para desmontar um sistema de arquivos /dev/hda1 montado em /mnt.

Desmontar o pen drive:

umount /dev/sdb

Observação: O comando umount executa o sync automaticamente no momento da desmontagem para garantir que todos os dados ainda não gravados serão salvos.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s