Cloud – Google App Engine – Hello World – Python – Linux – Computação nas nuvens

Publicado: 3 de agosto de 2014 em Cloud, Linux, Python

O Google App Engine permite que você construa aplicações web nos mesmos sistemas escaláveis ​​que as aplicações criadas pelo Google.  Os aplicativos App Engine são fáceis de construir, fácil de manter e fácil de escalar. Com o Google App Engine, não há servidores para manter. Se você acabou de fazer upload de seu aplicativo, ele está pronto para servir a seus usuários.

Ao contrario do Windows e Mac o Linux não possui o Google App Engine Launcher, deste modo todo o manuseio, incluindo compilação, servidor, e  deploy deve ser feito pelo terminal do Linux, por outro lado o Linux já contempla por default todas as ferramentas no qual usaremos, como a instalação do Python 2.7.x e o editor GEdit para a programação Python, então só nos resta baixar o Google App Engine SDK que pode ser baixado clicando aqui.

Computação nas Nuvens

O conceito de computação em nuvem em inglês, Cloud Computing, refere-se à utilização da memória e da capacidade de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da Internet, seguindo o princípio da computação em grade.

O armazenamento de dados é feito em serviços que poderão ser acessados de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, não havendo necessidade de instalação de programas ou de armazenar dados. O acesso a programas, serviços e arquivos é remoto, através da Internet – daí a alusão à nuvem. O uso desse modelo (ambiente) é mais viável do que o uso de unidades físicas.

SandBox

O SandBox, em português, caixa de areia (onde as crianças brincam e o gato faz caca, nem precisa explicar, não é?), é um ambiente de desenvolvimento utilizado para desenvolvimentos primários, existem vários tipos de ambiente SandBox e geralmente estão associados a uma metodologia de desenvolvimento. Por exemplo, desenvolvimento de grandes aplicações, uma equipe de desenvolvedores podem utilizar o ambiente de SandBox para criar e testar aplicações sem risco de interferir com a configuração do ambiente de desenvolvimento oficial, após a aplicação ser testada ela passa para um ambiente DEV oficial e o ambiente de SandBox é descartado, sendo constantemente atualizado com uma copia do ambiente de desenvolvimento da empresa. Em desenvolvimento para a web, as empresas que permitem programação em seus ambientes, disponibilizam um ambiente de SandBox para que o usuário aprenda a criar aplicações utilizando virtualizações dos seus ambientes de desenvolvimento, porem sem interferir nos mesmos.

Para permitir que o Google App Engine distribua os pedidos para aplicações em vários servidores web, e para evitar uma aplicação de interferir com a outra, o aplicativo é executado em um ambiente de sandboxrestrito.

Google SandBox Python: https://developers.google.com/appengine/docs/python/#Python_The_sandbox

O que você deve saber sobre o Google Cloud

  • O nome da aplicação é chamado de AppID e deve ser único para não haver colisão de nome na web.
  • As boas praticas recomendam criar nomes de aplicação e diretórios utilizando caracteres minúsculos.
  • O servidor web local do Google App Engine é baseado na tecnologia Apache.
  • As portas locais não devem colidir com outras portas em uso por algum servidor web em seu computador.
  • O Linux não possui a ferramenta Google App Engine Launcher e toda sua manipulação deve ser feita pelo terminal.

 

Programando nas nuvens com o Google App Engine

1 – Para desencargo de consciência,  precisamos testar se já possuímos a versão do Python 2.7.x já instalada, use o comando:


/usr/bin/env python -V

Versão Python

Versão Python

2 – Descompacte o arquivo baixado na sua pasta Home do sistema operacional, que em português chama-se Pasta Pessoal, crie uma nova pasta para nossa aplicação, chame de GoogleApp, deste modo você terá duas pastas adicionais em seu diretório home do Linux, a pasta do SDK chamada google_appengine e GoogleApp na qual iremos criar nossos arquivos fonte.

Descompactar arquivo Zip

Descompactar arquivo Zip

3 – Uma App Cloud do Google é composta de basicamente de dois arquivos, um de extensão yaml que contem os parâmetros de sua aplicação, incluindo o seu AppID e de um arquivo .py que contem o programa de código Python. Use o GEdit do Linux e crie os arquivos app.yaml e main.py e utilize o código abaixo para escrever cada arquivo:

Código Fonte

Código Fonte

4 – Com os arquivos criados no diretório GoogleApp no qual criamos anteriormente, precisamos iniciar o servidor local, utilize a linha abaixo para iniciar o servidor:


~/google_appengine/dev_appserver.py ~/GoogleApp/

Inicia Servidor - App Engine

Inicia Servidor – App Engine

5 – Com o servidor iniciado, abra o seu navegador web e digite o seguinte endereço: http://localhost:8080/

Localhost - porta: 8080

Localhost – porta: 8080

6 – Abra uma outra aba no navegador e digite o endereço do Google App Engine para que possamos criar nosso projeto nos servidores Cloud do Google, já presumimos que você tenha uma conta do Google: https://appengine.google.com/

Google Cloud - Aplicação

Google Cloud – Aplicação

7 – Coloque o nome de sua App de acordo com o conceito de AppID do Google Cloud, este nome deve ser o mesmo contido no seu arquivo app.yaml e deve ser único, preencha uma descrição e clique em criar aplicação:

Cloud - AppID

Cloud – AppID

8 – Vamos efetuar um Deploy para os servidores do Google, isto significa que vamos compilar o programa Python e efetuar um Upload para as nuvens, utilize o seguinte comando para efetuar este procedimento, e-mail e senha serão requeridos:


~/google_appengine/appcfg.py update ~/GoogleApp/

Deploy - nuvens

Deploy – nuvens

9 – Agora é só testar o endereço de sua aplicação nos servidores Cloud do Google, o endereço é composto de sua AppID + .appspot.com:

App Google Cloud

App Google Cloud

Exemplo:

Neste exemplo criamos uma aplicação nas nuvens utilizando a tecnologia Cloud do Google e a linguagem de programação Python:

Utilize este link para ver a aplicação nas nuvens: http://damyapplinux.appspot.com/

Yaml

application: damyapplinux
version: 1
runtime: python27
api_version: 1
threadsafe: yes

handlers:
- url: /favicon\.ico
  static_files: favicon.ico
  upload: favicon\.ico

- url: .*
  script: main.app

libraries:
- name: webapp2
  version: "2.5.2"

Python

#!/usr/bin/env python
#
# Copyright 2007 Google Inc.
#
# Licensed under the Apache License, Version 2.0 (the "License");
# you may not use this file except in compliance with the License.
# You may obtain a copy of the License at
#
#     http://www.apache.org/licenses/LICENSE-2.0
#
# Unless required by applicable law or agreed to in writing, software
# distributed under the License is distributed on an "AS IS" BASIS,
# WITHOUT WARRANTIES OR CONDITIONS OF ANY KIND, either express or implied.
# See the License for the specific language governing permissions and
# limitations under the License.
#
import webapp2

class MainHandler(webapp2.RequestHandler):
    def get(self):
        self.response.write('<h1>Desenvolvimento Aberto</h1>' + \
                            '</br>Hello world!</br>' + \
                            '<strong>' + \
                            '<font size="3" color="#8A2BE2">Google App Engine!</font>' + \
                            '</strong>')

app = webapp2.WSGIApplication([
    ('/', MainHandler)
], debug=True)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s